MAS QUEM DISSE QUE A ROTINA LIVRA O FIM DE SEMANA?
BLOG DE UMA VIDA SOCIAL, DIGAMOS, NÃO MUITO AGITADA...

domingo, 30 de novembro de 2008

Procurando propósitos...

Na vida, tudo tem que ter um propósito, uma razão de ser. Do contrário nada terá sentido. Não que se tenha que planejar cada respiração, tecer um argumento composto de uma boa retórica sempre que fizer algo, ou mesmo maquinar os movimentos de cada passo, mas é preciso sentir verdadeiramente que o que se vive ou o que se faz não é pelo simples fato de fazer, tornando-se uma coisa vazia. Mesmo as obrigações têm de ganhar sentido, senão não há porque fazê-las.

Tudo precisa ter propósito: o amor, a vida, a música, a arte, a roupa que se veste, um relacionamento, um filme, uma história, um beijo, o ódio, a alegria, a risada, o choro... e por aí vai...

Quando tudo se torna vazio e sem sentido é ponto de se perguntar por que se está vivendo. E não! A solução não é a morte, mas a busca eterna pela essência das coisas.

A essência das coisas, esse mistério que pede pra ser desvendado, mas que não que se revelar. Só é preciso um pouco de sensibilidade e percepção.



d- -b Listening Bush (the band, of course!)

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Ela é patética!

Ontém eu pedi a Deus que acalmasse meu coração porque não tinha ninguém no mundo sentindo mais ódio que o eu estava sentindo na noite passada. Simplesmente não dá pra discutir com quem sabe de tudo e que ainda julga saber o pensamento dos outros. Sim, "porque todo mundo entendeu menos você". Eu simplesmente não havia tirado a razão dela mas ela não me deu a razão que eu também possuía. No fim das contas ela que não entendeu e ainda fez pouco caso da minha razão. Eu por outro lado tenho muito a aprender, Graças ao meu bom Cristo; o que seria da vida sem a aterna motivação pela busca do conhecimento? Ainda a mesma história, mas agora meu ódio personificou-se: tem nome, sobrenome, rosto e roupas muito feias.
Sem tempo pra explicações, vou é estudar porque a prova dela é na Quarta-Feira e eu não sei nem 2% da matéria...

sábado, 22 de novembro de 2008

Pessoas... e pessoas...




Há pessoas e pessoas. Na maioria das vezes não gosto muito delas, mas meu projeto de vida inclui trabalhar por elas. ???. Como assim Bial? Como eu disse, há pessoas e pessoas. Tem gente que não tem nada na vida; me refiro às coisas básicas a que todos os seres humanos têm direito: comida, teto, educação, saúde, cultura, etc e tal. Por outro lado tem gente que tem todas essas coisas e age como otário. É pelo primeiro tipo de pessoas que quero trabalhar: pessoas que por não serem consumidores em potencial não tem valor nenhum na sociedade capitalista (sem clichês). Em relação ao segundo tipo eu quero distância. Gente sem potencial. Gente lerda. Gente alienada. Gente que quer te ver pelas costas pelo simples fato de você existir e ser do jeito que é. Não é querendo bancar a metida não, mas eu sou mais eu. E sim, eu ainda tenho esperança nas pessoas, por isso ainda perco tempo reclamando. Os valores e a sensibilidade perderam-se ou nunca de fato existiram?


Jesus disse; "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei." Eu juro que tento. Deus sabe e eu também que eu poderia tentar mais. Mas como é difícil (quem disse que seria fácil?) quando tudo que vejo são pessoas que se dizem letradas e pretendem uma sabedoria universal, que aliás, só a Deus pertence. Já dizia Sócrates: "Só sei que nada sei". E eu até sei de muita coisa, mas há tão mais a saber que na verdade concluo que não sei de nada mesmo... Mas eu sei disso, e portanto parece que sei mais que aqueles que julgam saber tudo. Esse tipo de gente acha que me conhece, acha que sou uma do-contra vazia e estúpida. Eu tenho propósitos maiores na vida e não acho (tenho certeza) que eu tenha alguma obrigação de provar algo à essas pessoas, exceto claro àquelas que merecem (pouquíssimas).


É difícil amar as pessoas como se não houvesse amanhã. É difícil amar professores que te fazem de otária enquanto fingem ensinar algo que pretende ser útil na dua vida quando na verdade não é. É difícil amar vizinhos cuja única função na vida parece ser invadir sua vida particular e sua própria casa. É díficil amar colegas de faculdade que tomam como implicância tudo que você fala. É díficil amar gente mal-educada e egoísta que só parece ter olhos para o próprio umbigo e você que se lasque.


Isso tudo soa muito arrogante, pode parecer que desprezo as pessoas ou que sou uma metida sabichona, mas quem realmente me conhece, e não quem pensa que me conhece sem saber quem sou, sabe que eu tenho um coração de ouro e grande em afeto, compreensão e perdão. Detesto ter que me justificar e ficar me auto-afirmando sobre o que sou ou que não sou, mas é a única maneira que encontro pra seguir vivendo nesse mundo lotado de gente estúpida. Antes de achar coisas pense que a defensiva é a única solução pra quem vive sendo "atacada". Eu não costumo provocar ninguém, portanto não admito que me provoquem. Estou olhando pra você, otário, e na minha cara há uma frase escrita:
- Mostre-me o que você sabe fazer!

¬¬



d- -b Listening RADIOHEAD

domingo, 2 de novembro de 2008

Cala a boca Galvão, porque o Hamilton é campeão!!!


Quase perco os cabelos vendo a corrida, mas não foi por causa da emoção (e olhe que tiveram muitas), mas pela quantidade de asneiras que Galvão Bueno falava. É irritante. E o pior é que tem gente que acredita e sai repetindo. Só pra citar algumas: é incontável o número de vezes que ele afirmou que Felipe Massa é sem dúvida o novo ídolo do esporte brasileiro. Primeiro, que de ídolos fabricados eu já estou cheia, ainda mais quando vêm da Globo. Segundo, que se ele fosse realmente um ídolo o Galvão não precisaria tentar convencer ninguém repetindo isso a cada 10 segundos. Falou ainda que Massa era o primeiro piloto da equipe, sendo que nem mesmo a Ferrari diz isso. Dã! Galvão ainda teve a audácia de dizer que a corrida em que Massa perdeu por causa do painel eletrônico do carro foi determinante para que ele não estivesse em primeiro no campeonato. Isso é verdade desde que se tenha uma versão distorcida dos fatos. Alguém lembra quantos pontos Massa ganhou de graça com as cagadas de Hamilton, e essas por sua vez, em duas corridas tiraram Raikonnen do caminho fazendo-o perder pontos preciosos no campeonato? Se ele não tivesse contado com essa sorte de Urubu que ele tem, que posição ele teria no fim do campeonato?

Mas enfim, baboseiras Galvanianas a parte, Hamilton é campeão, minha torcida deu certo e o choro de Massa foi impagável (me deu uma crise de riso).
Igualmente ridícula a torcida brasileira ao hostilizar Glock insinuando que a McLaren teria comprado a Toyota para que o piloto cedesse sua posição. Pô, se não sabe perder fica calado!