MAS QUEM DISSE QUE A ROTINA LIVRA O FIM DE SEMANA?
BLOG DE UMA VIDA SOCIAL, DIGAMOS, NÃO MUITO AGITADA...

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011


Muita gente falou mal, muita gente falou bem, então eu vou falar também:
Eu não consigo parar de ouvir o novo álbum dos Arctics Monkeys "Suck it and See", quarto álbum de estúdio dos queridos macaquinhos ingleses. Em primeiro lugar, não dá pra cometer o erro bobo de julgar o disco, digamos, não pela capa, mas pelo primeiro vídeo da música "Brick by Brick" que eles soltaram antes do lançamento oficial do álbum. Eu não gostei de brick by brick, achei boba e a letra não faz jus à sagacidade tão bem presente nas composições de Alex Turner; a única coisa que salva a música é a guitarra.
Arctic Monkeys foi paixão à primeira vista, já andei falando deles aqui e de como "Teddy Picker" me encantou, mas quem imaginaria o que viria pela frente só ouvindo "I bet you look good on the dancefloor"?. Três anos e dois albuns depois, foi nas mãos de Josh Homme que os meninos viraram homens no maravilhoso Humbug (2009). Foi aí que a paixão virou amor. Alex mais afiado que nunca, peso e densidade nas guitarras, baixo bem delineado e bateria mais nervosa e precisa que nunca (nada a ver com velocidade).
Em Suck it and See há independência de uma banda que apesar de jovem já possui sua marca registrada e um som característico. Aquilo que você escuta e nos primeiros segundos já reconhece antes de olhar os créditos no display.
Suck and See tem suas (ótimas) virtudes. Dá pra negar a beleza de "That's where you're wrong" e que o refrão parece uma pintura ("(...) Sitting on the floor with a tambourine (...)''); a sensualidade de "She's Thunderstorms" ("She's been loop the looping / Around my mind / Her motorcycle boots / Give me this kind of acrobatic blood, concertina / Cheating heartbeat / Rapid fire") e a poesia de "Black Treacle"?. Ou a semelhança do título de "Don't sit down 'cause I've moved your chair" com os títulos irônicos e engraçados das canções de Morrissey? It's clever, baby, so damn clever!
Se achar pouco ainda tem a doçura de "Love is a laserquest", a graciosa "Reckless Serenade" e a esperta "All my own stunts".
Arctic Monkeys, everybody!

segunda-feira, 9 de maio de 2011


Estou me fazendo essa pergunta.
Yes, we can... matar em nome da pretensa "democracia" americana...
Yes, we can... invadir países e ditar as regras...
Yes, we can... KILLING IN THE NAME OF... blah blah blah
Já ia me esquecendo que a vida de um americano vale mais... ¬¬
Até onde eu sei não existe maior terrorismo do que aquele feito pelos U.S.A.
E tinha mesmo gente achando que Obama seria diferente?
Em nada me afeta a morte de Bin Laden. Tampouco comemorei, o buraco é mais embaixo, ele é só uma pontinha do iceberg. Um pedacinho de linha da trama de uma grande colcha de crimes. Talvez as famílias das vítimas dos atentados tenham se sentido vingadas por motivos pessoais que não cabem ser questionados, mas quem vai vingar aqueles que vivem subjugados de todas as formas possíveis pelos americanos? Os que são torturados, presos, mortos, expulsos ou têm suas vidas afetadas de maneira cruel pelo Tio Sam?
Não há mocinho nem bandido, como fazem questão de pintar. Não estamos vendo filmes de western. Não há como determinar quem começou o que. Quem atirou primeiro, quem xingou a mãe de quem antes do outro.
Há fundamentalismo e radicalismo maior do que o americano?
E eu pergunto mais: de que exatamente Obama está falando quando disse:
- Justice is done (A justiça foi feita)?!!
Tem sido uma chateação sem fim ver noticiário nesses últimos dias devido ao papel de papagaio de ventríloquo que a imprensa tem feito.
Eu me pergunto onde estão as perguntas, os questionamentos, as reflexões. Tudo se resume à repetição, oba-oba-obama vazio. Por quê?
Como exatamente os Eua contribuem para a "Paz Mundial" que só existe em discurso de Miss?
Será mesmo que diferentemente da forma como Osama contribuiu?
Então...
OBAMA...
OSAMA...
Qual a diferença?
Um "B" e um "S"!!!

terça-feira, 5 de abril de 2011

Levanta-te e anda!

De repente me deu uma vontade de ressucitar esse blog... Se bem que ele nunca morreu de verdade, apenas estava em estado de, talvez eu possa dizer isso, hibernação. Embora o inverno não tenha passado, eu posso vestir um casaco e acordar.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

A melhor banda dos últimos tempos da última semana!!!

Não exatamente da última semana, mas dos últimos meses, e quiçá dos últimos anos. São essas coisas que, apesar de muita merda por aí, ainda produzem muita música boa que não deixa o bom e velho Rock morrer. Tô falando do Them Crooked Vultures. A badalada banda formada por Josh Homme, John Paul Jones e Dave Grohl. Para quem não conhece, o primeiro é o talentoso front-headman do excepcional Queens Of The Stone Age e otras cositas más (ainda faço um post só sobre esse cara, e não vai demorar muito); o segundo é o incrível baixista do lendário Led Zeppelin que só é uma das maiores bandas de rock que já existiu na face da terra e o último é o ex-baterista do Nirvana, frontman dos Foo Fighters, um dos músicos mais talentosos de sua geração.


Bem, mas vamos lá! Esse post não é exatamente pra contar a história de como surgiu o grupo (quem quiser saber mais pode pedir ajuda ao grande amigo Google search ahuahuahua), eu estou aqui escrevendo esse post mais precisamente pra falar que a banda dos sonhos é simplesmente GENIAL. Não há exatamente uma descrição precisa que possa expressar o quanto as músicas são boas. Josh mais afinado e afiado do que nunca tanto na voz como nas composições e , claro, na guitarra que é a especialidade da casa. John absoluto no baixo como não poderia deixar de ser. E um Dave visceral, enérgico e inspirado na bateria. Simplesmente dispensa comentários.
Quem tiver oportunidade eu recomendo ouvir todas as faixas pra pirar o cabeção e aprender o que é Rock N' Roll de verdade ao contrário dessas porcarias de emocore e vertentes que teimam em aparecer. Rock direto, cru, verdadeiro e bem feito sem esforço. Produto de talento, que convenhamos, com um line-up desses tá sobrando.


domingo, 3 de janeiro de 2010

Daí que é ano novo...



Daí que resolvi retomar as atividades dessa bagaça de blog.

Daí, também resolvi que não vou escrever sobre nada do que se passou...

Ano novo, vida nova? Não exatamente; há uma série de obrigações que me batem á porta junto com a nova data, as quais sinceramente ainda não me sinto pronta pra encarar.

Daí que também não posso fazer nada pra mudar isso. Então que se dane oras!

E vamos-nos nós.

Feliz Ano Novo!!!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Dando as caras... e as notícias!!!

Sumi! É sabido. Tive meus maus bocados nos últimos meses. Estive olhando a data da última postagem: é de quando as coisas não iam tão mal embora eu já estivesse com problemas suficientes pra não querer escrever.
Eu perdi minha mãe, e uma parte de minha vida foi junto com ela; daí a falta de interesse em atualizar esse blog e em fazer outro monte de coisas. Não vou entar em detalhes. Essa é uma parte muito dolorosa da minha atual vida que não pretendo expor aqui.
Hoje deu vontade de escrever essas poucas linhas e espero que isso seja o esboço de uma volta, mas não posso garantir.
No mais é isso. Até uma possível volta.
Abraços a todos!

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ainda ausente por tempo indeterminado. Mas não tanto, espero.



Abraço a todos!

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Sem...

... tempo, saco, paciência, humor, talvez inspiração, enfim.
Talvez eu volte logo, talvez nem tanto.
Os blogs que acompanho e tanto gosto infelizmente nunca mais li. Prometo ler tudo e comentar.
Abraços ¬¬

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Meme... respondendo.

O Júnior, do Bad Brain Machine me incubiu de uma tarefa, digo, de responder um meme. Pois vamos a ele:
O meme:
1. Linkar a pessoa que te indicou. Aí encima.
2. Escrever as regras do meme em seu blog. Aqui.
3. Contar 6 coisas aleatórias sobre você. Aí embaixo.
4. Indique mais 6 pessoas e coloque os links no final do post. Ali embaixo.
5. Deixe a pessoa saber que você o indicou, deixando um comentário para ela. Tá lá.
6. Deixe os indicados saberem quando você publicar seu post. Acolá embaixo.

As respostas:
O que me vem a cabeça agora é:
1. Tenho uma mania meio irracional de me auto-afirmar. Eu imagino ter certeza de saber explicar o porquê. Mas não vou fazer isso aqui e agora.
2. Eu adoro olhar para o mar e para o céu. Sou do tipo que fica horas observando, até o pescoço começar a doer. É meio que uma fascinação mesmo.
3. Eu lavo as mãos a todo instante. Tenho a sensação de que tudo que toco está sujo ou contaminado, cheio de bactérias, micróbios e coisas do tipo.
4. Eu adoro ficar em casa. Se tiver um livro pra ler, música pra ouvir (de preferência um bom rock), computador com internet e uma televisão pra assistir já é 90% da minha diversão.
5. Eu amo praia mas não gosto de tomar sol.
6. Sou mais inteligente que estudiosa.
Agora eu passo para:

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

In Obama they trust!


Kaká (até que enfim) disse não e fim de papo. Ficou balançado com a proposta mas por enquanto ainda não é mercenário. Vamos a outros fatos porque o papo na mesa de botequim agora é outro:
Ontém tomou posse o primeiro presidente negro dos Estados Unidos. Um grande acontecimento? Claro! Mas cá pra nós o oba-oba encima dele está mais que exagerado. Estão depositando nele uma confiança excessiva como se ele agora fosse a solução dos problemas do mundo. Meio impossível quando se trata de um presidente americano. Isso quer dizer que não importa quem comande o país, os interesses dos Estados Unidos em detrimento dos interesses do mundo serão sempre a prioridade. Tem gente achando que ele é a esperança de negociação no conflito Israel x Palestina; mas quem diz isso parece esquecer que Israel é o único aliado dos States no Oriente Médio e os americanos em nenhum momento vão querer perder esse apoio; então por mais que haja algum progresso daqui pra frente, Israel sempre estará levando vantagem. Há também quem veja em Obama a chave para a resolução do problema da crise econômica mundial. Isso me lembra bem Lula e seus 10 milhões de emprego em seu primeiro mandato... Tudo balela. Decerto que talvez suas decisões sejam mais sensatas que as de Bush nesse campo, mas não existirão milagres. Pra quem não viu ou mesmo não se lembra, Obama falou em campanha que pretende dar continuidade ao etanol do milho (ao invés de comprar o nosso), o que pode continuar encarecendo e tornando escassa a comida. Ah! E ele disse também que a Amazônia não pertencia a nós brasileiros, mas ao mundo (traduza-se: do mundo = dos americanos). Dispensa explicações. Então antes de confundir Obama com um tal Senhor dos Milagres, por favor sejamos razoáveis e esperemos pra ver. Não se trata de ceticismo, muito pelo contrário; torço para que esses anos que virão pela frente sejam melhores que os da Era Bush, mas há de se colocar um pé no freio do imaginação (não dá pra chamar de otimismo). Hoje mesmo Obama já deu um passo positivo: mandou suspender os processos dos presos de Guantanamo. Só o tempo vai dizer se podemos ou não confiar em Barack Hussein Obama!