MAS QUEM DISSE QUE A ROTINA LIVRA O FIM DE SEMANA?
BLOG DE UMA VIDA SOCIAL, DIGAMOS, NÃO MUITO AGITADA...

domingo, 29 de junho de 2008

Futebol (de novo?)!

Hoje teve a final da Eurocopa. Não acho sinceramente que a Espanha tenha sido o melhor time da competição. Jogou muito bem hoje, claro, mas na minha modesta opinião não merecia o título europeu de 2008. O time tem lá suas qualidades, mas é tecnicamente fraco, diferentemente da Alemanha. Aliás, a seleção germânica nem de longe lembrava a típica seleção alemã fria e pragmática, mas a raça não foi suficiente; eles estavam atrás no placar e os espanhóis souberam segurar muito bem sua vantagem. Espanha essa, aliás que eliminou a Itália nas quartas de final. Sobre essa partida em particular, mais uma vez o fantasma dos pênaltis assombrou a seleção italiana nas finais de competição. Com um time tecnicamente superior, a azzurra jogou bem, mas não conseguiu converter a qualidade em gols, principalmente por causa do atacante Luca Toni, que parecia estar fora do tempo de cada bola que era passada pra ele. O time fez muito bem o que sabe fazer, dar liberdade ao adversário e apostar nos contra-ataques rápidos, mas salvo alguns milagres realizados pelo goleiro espanhol Casillas, o ataque não foi realmente bem sucedido. A Espanha tentava compensar sua inferioridade no jogo rápido da troca de passes indo o tempo todo ao ataque, mas raras vezes conseguindo furar o paredão da defesa italiana, quando aí entrava Buffon e fazia as honras de melhor goleiro do mundo. Um jogador em especial me chamou atenção no time espanhol: Davi Villa. Não sei porque o oba-oba encima dele, o cara é ruim demais, não ganhou uma sequer nas disputas de bola com os zagueiros e quando conseguia chutar, o gol era o lugar menos provável para onde a bola iria.
E foi a rotina dos penaltis que atrapalhou tudo de novo na vida dos italianos e nós, tiffosi, não tinhamos mais pra quem torcer. E a Espanha acabaria como campeão da Euro. Não diria que foi uma zebra, mas pouca gente apostou que eles ganhariam.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Fica Dunga!

A selixão não entrou com a mesma (falta de) atitude do jogo contra o Paraguai. Mas vamos dar nome aos bois: o Brasil, mais uma vez, não jogou bem, mas fez o melhor com os recursos (jogadores limitados) que tinha. Digamos que a má qualidade foi a mesma, mas a vontade foi maior. A Argentina não jogou mal, mas poderia ter jogado melhor. O fato é que o time de Dunga não tinha a motivação de jogar melhor pra rebater as críticas feitas sobre suas péssimas atuações nos últimos jogos, mas estava somente obedecendo à vontade de ganhar da Argentina, maior rival e etc. Espera pra ver o próximo jogo e vê se não vai ser uma porcaria também. A Argentina, que tem um time muito superior, parecia um time meio displicente de quem diz: - Entro pra segurar um empate e vocês não vão ganhar. Poderia ter ganho o jogo se quisesse; desperdiçou lá suas chances, eu sei, mas não ganhou porque não quis. Tanto é que o que se via era os jogadores do Brasil se “esbagaçando” pra fazer alguma coisa e os jogadores da Argentina se defendendo ali, dando um contra-ataque aqui, sem suar muito a linda camisa. Enfim, o fato é que nem assim o Brasil ganhou. Agora querem a cabeça de Dunga. Bem, por mim ele fica (hehehehehe). Mas os mesmos torcedores que gritam “Fora Dunga” são aqueles que ficaram felizes quando o gaúcho dos ternos ridículos fez sua estréia como técnico justamente na seleção brasileira. São os mesmos que aclamaram Felipão, depois pediram, revoltados, sua saída, pra depois reivindicá-lo novamente no comando da seleção. Claro que muito do mérito do fracasso de uma equipe vem de seu comandante, mas ninguém aí pára pra pensar que o problema também pode estar nos comandados? Robinho cai-cai, Adriano trator, Ronaldinho Gaúcho firula, Bonaldo gordão, Kaká pipoca, Júlio Batista touro, Lúcio grosseirão, e muitos outros são aclamados como craques quando na verdade são jogadores medianos que por conta de uma fase boa são pintados como melhores jogadores do mundo. E quem acha que com a seleção olímpica vem aí uma renovação pode perder as esperanças, pois além de o técnico também ser Dunga, já definiu muito bem a imprensa essa semana que o time que vai disputar medalha em Pequim, não passa de “um amontoado de jogadores sem expressão”. Ah! E só pra tripudiar, nós (ARGENTINA) já temos ouro olímpico. E que Dunga permaneça por um longo e “próspero” tempo. E pra tripudiar mais um pouquinho, olha a freguesia hein!? Paraguai tá se tornando uma pedrinha nas chuteiras brasileiras. E eu tô adorando tudo isso. Ahhh!

sábado, 14 de junho de 2008

Viva Che!

Há 80 anos nascia aquele menino que queria mudar o mundo. Depois de uma vida de luta, a memória de Ernesto Guevara De La Serna resiste como símbolo do ideal revolucionário. Ainda muito mitificado, é bem verdade, mas ele é a referência para aqueles que se inspiram em sua coragem e inteligência na busca da sociedade justa. Infelizmente sua imagem perece no mundo capitalista, sendo vendida em camisetas de lojas de grife, compradas e usadas por revolucionários de butique. Meninos bem criados a base de toddynho que sequer já pararam pra ler uma linha sobre a história de Che. Gente que diz querer um mundo mais justo, quando na verdade não querem abrir mão do comportamento hedonista igualmente adotado pela sociedade. A hipocrisia que mancha a bandeira da revolução. Não estou dizendo que devemos sair por aí com a roupa do corpo, armas barracas de lona e fazer a picaretagem do MST ou das FARC, com armas e ódio gratuito mal direcionado em punho. Se no tempo de Che a luta armada era necessária, hoje o mundo é outro, mas a alienação crônica da qual o mundo padece ainda é a mesma daquela época. Também não estou dizendo que as classes mais altas não têm direito de lutar por terem nascido em seus berços de ouro; pelo contrário, têm a obrigação. Mas como, sem levantar ao menos a bunda do confortável sofá e sem desgrudar os olhos da tela da TV de plasma?


Muitos pseudo-críticos afirmam que esse é o tipo de retórica vazia, que fazer revolução é impossível e que o exemplo mais forte é o fracasso da URSS e da situação complicada de Cuba, mas eles, em sua eterna estupidez, sequer sabem a diferença entre socialismo e stalinismo. Justiça social não se resume a pura e simples desapropriação de propriedade privada, como alguns ignorantes teimam em "pensar", pois ao invés dessa visão simplista e superficial está a real visão da desconcentração de renda, de capital e de recursos que estão às mãos de poucos, enquanto milhões de pessoas sequer tem o que comer.


Para uns, Che tornou-se inspiração, exemplo de luta pelos ideiais de justiça social. Estes agem, de alguma forma, mais tímida ou mais ousada, mas agem. Para outros, Che tornou-se um ídolo a ser adorado, sendo visto de forma distorcida, simplista e usado como simples estampa de camiseta. Estes não agem, pois estão muito ocupados em idolatrar demais e agir de menos e se esquecem do real propósito da verdadeira revolução.


Não estou dizendo, de forma absoluta, que ninguém deveria usar uma camiseta com o rosto de Che Guevara. Nada disso, pois eu mesma pretendo comprar uma pra mim. Mas enquanto muitos usam uma camiseta como bandeira e símbolo revolucionário, muitos usam como desencargo da consciência inerte que possuem.


Há 80 anos nascia o "Che", mas depois de mais de 40 anos de sua morte, ainda continuam matando-o dia após dia.




terça-feira, 10 de junho de 2008

Coisas da minha rotina que eu adoro.

Como o próprio nome do blog, e sua descrição claro, rotina aqui é o que não falta. Desde situações comuns a um universitário, até pensamentos insistentes de como a vida tem suas surpresas ou as vontades próprias sofrem sanções. Mas o certo é que se nas coisas simples é que estão a graça da vida, a minha está cheia delas. Uma vida um tanto pacata, usando o eufemismo, é verdade, mas apesar de não acontecer muita coisa agitada eu gosto muito de certas coisas que fazem parte do meu cotidiano diário de todo dia (hehehehehhe). Pra falar a verdade até que não faço questão de muito movimento pois sou, por natureza, bastante quieta; do que sinto falta mesmo é de agir mais em certos aspectos. Correr atrás dos meus ideais ou sair no fim de semana. Mas eu gosto.

Como já ficou evidente, eu A-D-O-R-O futebol. Tanto que até já inventei que estava doente a minha chefe pra faltar ao trabalho e assistir a final da Uefa Champions League; mas valeu a pena porque o Milan foi campeão. Também amo ver jogos de tênis, que por sinal estão cada vez melhores. Até acordo cedo dia de domingo pra ver as partidas de Grand Slam. Ainda tem a fórmula 1. Assisto desde criança, quando torcia para o Senna; lembro-me bem da corrida do acidente em que ele se foi. Eu estava assistindo e vi tudinho. Hoje está tudo diferente, mas ainda gosto muito de ver as corridas e, agora, torcer para o Kimi.

Pra quem gosta tanto de esportes, deveria saber jogar alguma coisa, mas esporte não é comigo; não por falta de vontade, mas por falta de jeito mesmo. Tenho jeito mesmo é pra ver e comentar com os olhos críticos, que são minha característica mais forte. Não jogo nem jogos de computador, sempre odiei videogame (principalmente o Super Mario Bros.). Mas estou viciada num joguinho que de início pode parecer meio bobinho, mas do contrário é bastante desafiador e requer bastante "prática". Tô falando do Zookeeper. Jogo tanto que já estou com medo de adquirir uma LER.
Apesar de reclamar de quase nunca sair de casa nos fins de semana, admito que bem que gosto de ficar largada no sofá, vendo filmes, esporte, desenhos, seriados, shows ou documetários sem compromisso com hora, com prova da faculdade ou acordar cedo pra ir trabalhar (leia-se estágio remunerado).

Minhas manias de doido também estão presentes na minha rotina. Coisa de gente mais doida ainda gostar disso. Lavo as mãos o tempo todo. Preciso saber que elas estão limpas, do contrário fico meio "aperriada". Não virou uma compulsão ainda, mas tá perto de isso acontecer. Nem a alergia a sabão que apareceu nos meus dedos me fizeram maneirar na dose. Também sou meio neurótica com meu peso; apesar de admitir que estou magra demais com meus atuais 48 kg, eu sou capaz de gostar disso, para desespero da minha mãe que fica o dia todo me mandando comer alguma coisa, assim como meus amigos.


Nada de surpreendente; apenas rotina e só; somente ela. Não gosto muito de surpresas e me causa aflição o fato de não poder evitá-las. Talvez seja por isso que apesar de reclamar tanto da minha rotina, o fato de eu gostar dela é um esforço inconsciente constante do meu consciente de evitar que eu perca o controle das coisas. Um ilusão, claro, achar que tenho o controle, mas que faz parte da minha rotina tanto quanto os jogos de futebol e o sofá...

domingo, 8 de junho de 2008

Para o freguês: Obrigado e volte sempre!



Nunca foi tão fácil. Rafa Nadal atropelou Roger Federer. Com 3 sets a 0 o espanhol é TETRA campeão de Roland Garros. O que se viu foi um Federer meio apático sem representar muito perigo ao domínio de Nadal. O fato é que o suíço não consegue jogar seu tênis quando do outro lado da quadra de saibro está o espanhol. Enquanto isso Federer adia para mais um ano a conquista do único título de Grand Slam que ainda não tem. E acho muito provável que ele não consiga. Não enquanto Rafa existir. Num primeiro set fácil, Rafa logo quebrou os serviços de Federer; no segundo set Roger esboça uma reação mas nada parecia adiantar para virar o jogo a favor de si. No terceiro então, ele levou um "pneu" e não fez um game sequer. Não adiantava subir a rede; ele tomava passada. Não adiantava longas trocas de bola; Nadal sempre chegava. Isso acabava por tirar a confiança de Federer e não teve jeito. Nadal que não perdera um set sequer em todo o torneio não deixou barato e fechou o jogo por 3 sets a 0. Mais uma para a caderneta do Federer.


Falando em freguesia, Kimi parece já ser cliente da falta de sorte. O que foi aquela c..... que o Hamilton fez na corrida de hoje? Não satisfeito em acabar com a própria corrida, ele acaba com a corrida dos outros. Por causa dele o piolho Felipe Massa passou meu amado Kimi no campeonato. O finlandês que vinha bem na prova e provavelmente poderia ter um lugar no pódio foi atropelado por Hamilton que não enxergou a luz vermelha na saída dos boxes. Eu até gostava do menino inglês, mas depois dessa eu quero mais é que ele se dane (a não ser, claro, quando ele estiver na frente do "Mafa"). Lembrando que quando Raikonnen bateu em Mônaco ele não tinha os controles do carro, diferentemente do carro de Hamilton que estava em perfeitas condições. O problema foi a lesera mesmo.

sábado, 7 de junho de 2008

Voltei pra falar de futebol. E Tênis. E Fórmula1.

Nunca mais falei sobre o mundo dos esportes, coisa que adoro, então, já que o mês de Junho tá bombando no mundo dos atletas achei que cabia alguns comentários.


Quarta-feira a Libertadores definiu seu segundo finalista no jogo Boca x Fluminense. Eu tava querendo mais era que o time carioca fosse pra qualquer lugar nada digno de se mencionar aqui. Não foi bem isso que aconteceu, mas vamos dar nomes aos bois e créditos a quem merece. Primeiro: Não, minha gente, não foi o Fluminense que ganhou. Quem achou isso (certamente viu o jogo pela Globo) não prestou realmente atenção nos jogos (ida e volta), ou não entende de futebol como pensa que entende ou deixou-se levar pelo calor da torcida anti-argentina. O certo é que o Boca perdeu. E qual a diferença? Quem entende de futebol (sem modéstia parte, eu por exemplo) sabe que o time argentino é muito superior ao tricolor das laranjeiras. Em tudo; desde o esquema tático aos jogadores que compõem o time, raça, etc, etc... O fato é que o Boca não foi o Boca. Eu vi um time com uma defesa desorganizada (muito pouco comum ver isso no jogo do Boca), o ataque estava meio que "abatido", Riquelme não apareceu e o esquema tático parecia praticamente inexistente. O Fluminense não foi superior, só foi mais eficaz. Mas o mundo do futebol tem dessas mesmo. Fazer o quê?




Obaaaaaaaaa que a selixão brasileira perdeu para a Venezuela. Mas é uma satisfação. E eu tripudio mesmo: Cadê? Cadê? Cadê a melhor do mundô? Quem? Quem? Robinho cai-cai e Adriano trator? Só sendo mesmo. Cambada de porcarias incompetentes. Torcedores afetados terão respostas atrevidas se vierem comentar besteira aqui.

Falando em futebol, essa semana vai ser boa, hoje começou a Eurocopa e boa parte da nata do futebol vai se enfrentar pelo título europeu. Portugal até que jogou bem, até a hora maldita que Felipão resolveu substituir Nuno Gomes e colocar uma criatura em forma de volante e deixando Cristiano Ronaldo praticamente sozinho na frente. Depois disso ele ainda substituiu outro jogador de ataque por, advinhem, um outro volante, e Portugal não fazia outra coisa senão defender-se das investidas turcas. Ansiosa a ver os jogos da Itália que infelizmente pegou o grupo mais difícil e estará sem seu capitão Fábio Cannavaro que por uma tremenda falta de sorte se machucou durante um dos treinos antes da competição e ficará de molho por longos 3 meses. Hunf! Falando em Itália, a boa notícia pra compensar a péssima notícia da ausência de Cannavaro foi o anúncio da prorrogação da aposentadoria de Paolo Maldini. O eterno capitão e símbolo do Milan joga por mais uma temporada no Rossonero italiano contemplando os torcedores e apreciadores do bom jogo com seu futebol técnico, classudo, experiente e uma infinidade de qualidades que só um jogador como Maldini sabe ter.
Mudando de esporte mas ainda no mundo da bola, amanhã tem a final de Roland Garros, com Federer e Nadal (os melhores do mundo) de novo! Vai ser jogão e eu tenho minhas dúvidas quanto a uma vitória de Federer porque contra Nadal no saibro ninguém tem muita chance. Se depender da minha torcida a máquina espanhola já tá com as duas mãos na taça.



E tem ainda a fórmula 1. Fiquei irada com a vitória do b.... do Massa em Mônaco, mas parece que no Canadá ele vai voltar para o seu devido lugar: atrás de Kimi Raikonnen. Pelo menos se depender do treino de hoje... Mas alguém aí pode me dizer que lógica burra é essa que o Galvão Bueno usa quanto aos resultados do Felipe Massa? Quando ele está atrás (impagável a voz de decepção que o Galvão fez quando o batorezinho das pistas conseguiu apenas o 5° lugar no treino de classificação) a desculpa é que os outros pilotos estão mais leves e o Massa está mais pesado. Mas quando o Massa consegue uma boa colocação é porque o cara tem talento e blá, blá. Quer dizer que nenhum piloto ali é bom? Quer dizer o bom resultado dos pilotos é consequência pura e simplesmente de um tanque de gasolina (não que eu não saiba o quanto isso interfere no resultado de uma corrida ou mesmo de um treino, porque acredite eu sei!!!)? Ninguém tem talento? Ah! Como dizia meu caro Kajuru: - Vai te catar Galvão!


Provavelmente os resultados do tênis, do futebol e da F1 ainda renderão outro post amanhã. Tomara que minha torcida valha alguma coisa hehehehhehe!!!!